Ecovilas - Sobre saúde natural e conhecimento partilhado

Seria muito triste viver numa ecovila onde as pessoas precisem de seguro saúde, e quando estivessem doentes, tivessem que viajar a um grande centro urbano e se tratar em um hospital.

Sem duvida alguma que essa necessidade pode vir a acontecer, mas preferimos evitar com prevenção.

A medicina moderna está a cada dia mais mercantilizada.

Os tratamentos seguem protocolos nas dosagens das medicações que são produzidas pelas milionárias multi nacionais dos
remédios.

Uma medicina alternativa pensa na preservação da saúde e muito pouco em doenças.

Uma ecovila auto-sustentável deve criar um projeto inteligente e eficiente de preservação da saúde natural dos seus integrantes.

Alimentos saudáveis sem agrotóxicos, plantação de ervas medicinais, contato com raizeiros locais e terapeutas alternativos, centros com várias práticas de prevenção da saúde, cuidados com a qualidade da água, a prática de exercícios diários de circulação e multiplicação da energia vital do corpo, são fatores importantes que pretendemos implantar.

A Viver Simples tem realizado pesquisas locais para a formação desse centro de saúde desde o inicio de sua construção.

Foi feito contato com bons raizeiros locais e cadastramento de ervas naturais usadas pela população para a cura e preservação da saúde.

Em nosso projeto temos a construção de uma UTI natural, onde pessoas idosas podem se preparar para morrer em paz, sem as torturas dos tratamentos hospitalares que não respeitam a morte e querem evitá-la a qualquer custo, mesmo quando o paciente já tem 90 anos de idade e precisa concluir o seu ciclo natural de vida/morte.

Quase todos os fundadores de nossa ecovila praticam exercícios diários para a circulação e multiplicação da energia vital através de fórmulas milenares tradicionais de preservação da saúde.

Sorrir, rir muito, é uma das melhores formas de preservar a saúde.

Vejo no futuro nossa ecovila cheia de doutores da alegria fazendo todos rirem pelos menos 5 vezes por dia.

Uma boa gargalhada cura mais do que qualquer medicação.

Sem humor não é possível preservar nossa saúde!

A Ecovila Viver Simples fechou parceria com um proprietário de terras vizinhas que é um dos participantes da organização Doutores da Alegria.

Vamos aprender a criar situações cômicas e cuidar todos os dias de nossa saúde sorrindo muito!

Gargalhando se for possível, mas sempre rindo!!

Falta em algumas ecovilas um projeto realmente abrangente nessa área.

Mudar para junto da natureza, comer alimentos sem agrotóxicos, somente, não garantem a preservação da saúde.

Se assim fosse, homens do campo que comem alimentos sem agrotóxicos e que possuem uma vida movimentada e plena não adoeceriam.

Meios alternativos de todo tipo podem inspirar um bom projeto de saúde para os moradores de uma ecovila.

Somente assim podemos construir uma auto- sustentabilidade verdadeira nessa área.

A independência na cura de doenças e preservação da saúde é vital nesse processo!

Nossa ultima reflexão é sobre o conhecimento compartilhado.

Gosto de pensar que quando Jesus disse que não deveríamos cuidar dos tesouros da terra e sim construir tesouros no céu, onde as traças não podem comer, estava falando do conhecimento e de sua duração.

O conhecimento nunca se perde, e esse tesouro deve ser compartilhado com todos.

As zonas rurais onde estabelecemos as ecovilas, são carentes desses recursos, e creio ser um dever, compartilhar conhecimentos com as populações locais.

Trazer meios para criarem uma melhor qualidade de vida financeira, mental, emocional e cultural, é uma obrigação nossa.

O projeto abarca o trazer melhorias positivas para a região de Morro Grande, fomentar novas tecnologias de trabalho agrícola, cursos de arte e desenvolvimento dos talentos locais.

Treinamento na gestão dos recursos para a construção de sonhos pessoais e tudo o que possa trazer mais independência e sabedoria para as comunidades vizinhas.

Como nossa ecovila está situada no sul de Minas, e todos sabem da dificuldade e da desconfiança do mineiro com coisas inovadoras, vamos começar pelas mulheres locais e suas instituições religiosas.

Vamos participar de suas atividades e á partir daí, ir introduzindo aos poucos os conhecimentos necessários a seu desenvolvimento pessoal.

Tivemos uma boa experiência nas construções alternativas com a troca de conhecimentos dos construtores locais e o material novo sobre os modelos de construções alternativas que pesquisamos.

Aprendemos com interesse e respeito seus conhecimentos tradicionais e somávamos a esses, as novas tecnologias de bio- construção, sem que houvesse incompatibilidade entre elas.

O resultado final desse intercâmbio gerou um novo corpo de conhecimentos mais rico e eficiente para ambas as partes.

Acredito que através desse respeito e amor pelo conhecimento tradicional local, podemos aos poucos ir introduzindo a leitura, usar as conversas ao pé do fogão aproveitando para trocarmos experiências e abrir uma porta para empreendimentos mais desafiadores no futuro.

Para se instalar verdadeiramente algo novo, precisamos conhecer profundamente o que há, e sempre começar à partir da realidade em que se encontram e bem devagar ir instalando mecanismos de mudança.

Acredito que a fundação e, a construção de uma ecovila, acontece em um tempo não linear.

Como a natureza, ela também obedece a ciclos, nasce, amadurece e morre sempre construindo algo novo á partir do velho que morre.

O novo algum dia será velho, e também morre dando espaço para uma nova vida.

A ecovila que perdura deverá ser a menos permanente, a que se abre a cada dia para as mudanças.

O livro das mutações, o I Ching nos ensina, que a única coisa que perdura nessa vida é a impermanência.

Se a cada dia nos abrimos para as mudanças e criamos condições internas bem positivas, poderemos vencer os desafios permanentes que surgem no processo da manifestação plena de uma ecovila.

Somente assim podemos nos alinhar com os processos naturais, e aceitar que nenhum modelo único poderá funcionar numa ecovila verdadeira, sem ferir seu objetivo essencial que é ser mutante e bio-diversa como a natureza!

Ely Britto
Idealizadora da Ecovila Viver Simples
Instrutora Sênior de Alquimia Interna Taoista
Pesquisadora do I Ching

Artigos Relacionados:

Escrever um comentário (0 Comentários)

A História da Umbanda

Na maioria dos livros, a História da Umbanda está diretamente ligada ao Caboclo das Sete Encruzilhadas, entidade recebida pelo médium Zélio Fernandino de Moraes, lá pelos idos de 1908.

Na versão oficial, digamos assim, o médium recorreu a um Centro Espírita Kardecista no Rio de Janeiro em decorrência da sua paranormalidade.

Chegando lá, foi convidado a compor a corrente e num determinado momento recebeu um Caboclo.

Alguns relatam que nesse dia outros médiuns também incorporaram caboclos e pretos escravos.

E todos foram gentilmente convidados a se retirar, porque o kardecismo "não aceita" esses guias, os vê como "espíritos atrasados".

Inconformado com a discriminação, o Caboclo mandou a real:

“(…) se julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo dizer que amanhã estarei na casa deste aparelho (Zélio), para dar início a um culto em que estes pretos e índios poderão dar sua mensagem e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos encarnados e desencarnados. E se querem saber meu nome, que seja Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque não haverá caminhos fechados para mim.”

E assim começou a umbanda..

.. segundo a versão mais popular e aceita pelos umbandistas, que estamos chamando de "oficial".

Mas existe a versão extra oficial

Nessa, a Umbanda é um movimento de resistência religiosa que sempre existiu no seio do povo..

O Espiritismo Kardecista é euro centralizado, Allan Kardec era francês, e veio com um conjunto de valores da elite europeia, em detrimento da sabedoria popular tupiniquim..

.. baseada na cultura de pretos e índios..

.. um conhecimento completamente desprezado pelo invasor europeu.

A Umbanda surgiu como expressão popular do espiritismo, ou, podemos dizer, uma alternativa popular para o mesmo fenômeno (de incorporações espíritas).

Antes mesmo do Caboclo das Sete Encruzilhadas, outros caboclos e pretos velhos percorreram terreiros de Candomblé e Macumbas em geral.

Por analogia, podemos dizer que até hoje a Umbanda é um movimento de resistência..

.. por isso que existem várias umbandas..

.. é uma questão de concepção.

As religiões, de maneira geral, são concebidas de cima prá baixo..

Mesmo o Cristianismo, apesar de Jesus ter sido um homem do povo, as vertentes católicas e protestantes vem com uma estrutura pronta, pré definida lá fora.

O Vaticano define uma regra e todo o mundo (do universo católico) passa a obedecer.

A Umbanda, por sua natureza, percorre caminho inverso, de baixo prá cima..

.. por essa razão existem várias Umbandas porque existem várias demandas conectadas diretamente com as vontades do povo..

.. a profusão de correntes é salutar.

O mais importante nesta questão, é ter consciência sobre o processo de formação da religião..

.. por essa ótica, não existe a melhor umbanda..

.. todas são boas..

.. não existe "a verdadeira"..

.. porque todas são verdadeiras.

Vou citar algumas vertentes abaixo, um recorte do excelente trabalho de Renato Guimarães.

  • Umbanda Branca e Demanda, Alabanda, Umbanda Tradicional, Umbanda de Mesa Branca, é a vertente do Caboclo das Sete Encruzilhadas, surgida em São Gonçalo, RJ, em 16/11/1908, com a fundação da Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade.
  •  
  • Umbanda Kardecista, Umbanda de Mesa Branca, é fortemente influenciada pelo Espiritismo, geralmente praticada em centros espíritas que passaram a desenvolver giras de Umbanda junto com as sessões espíritas tradicionais.
  •  
  • Umbanda Mirim, Aumbandã, Escola da Vida, Umbanda de Mesa Branca, é fundamentada pelo Caboclo Mirim através do seu médium Benjamin Gonçalves Figueiredo (26/12/1902 – 03/12/1986), surgida no Rio de Janeiro, RJ, em 13/03/1924, com a fundação da Tenda Espírita Mirim.
  •  
  • Umbanda Popular, Umbanda Cruzada, Umbanda Mística, é uma das mais antigas vertentes, fruto da umbandização de antigas casas de Macumbas, porém não existe registro da data e do local inicial em que começou a ser praticada.
  •  
  • Umbanda Omolocô, Umbanda Traçada, é fruto da umbandização de antigas casas de Omolocô, fundamentada pelo médium Tancredo da Silva Pinto (10/08/1904 – 01/09/1979) em 1950, no Rio de Janeiro, RJ.
  •  
  • Umbanda Almas e Angola, fruto da umbandização de antigas casas de Almas e Angola, porém não existe registro da data e do local inicial em que começou a ser praticada.
  •  
  • Umbandomblé, é fruto da umbandização de antigas casas de Candomblé, notadamente as de Candomblé de Caboclo, porém não existe registro da data e do local inicial em que começou a ser praticada. Em alguns casos, o mesmo pai-de-santo (ou mãe-de-santo) celebra tanto as giras de Umbanda quanto o culto do Candomblé, porém em sessões diferenciadas por dias e horários.
  •  
  • Umbanda Eclética Maior, fundamentada por Oceano de Sá (23/02/1911 – 21/04/1985), mais conhecido como mestre Yokaanam, surgida no Rio de Janeiro, RJ, em 27/03/1946, com a fundação da Fraternidade Eclética Espiritualista Universal.
  •  
  • Aumbhandã, Umbanda Esotérica, Aumbhandan, Umbanda de Pai Guiné, fundamentada por Pai Guiné de Angola através do seu médium Woodrow Wilson da Matta e Silva, também conhecido com mestre Yapacani (28/06/1917 – 17/04/1988), surgida no Rio de Janeiro, RJ, em 1956, com a publicação do livro “Umbanda de todos nós”.
  •  
  • Umbanda Guaracyana, fundamentada pelo Caboclo Guaracy através do seu médium Sebastião Gomes de Souza (1950 – ), mais conhecido como Carlos Buby, surgida em São Paulo, SP, em 02/08/1973, com a fundação da Templo Guaracy do Brasil.
  •  
  • Umbanda dos Sete Raios, é a vertente fundamentada por Ney Nery do Reis (Itabuna, (26/09/1929 – ), mais conhecido como Omolubá, e por Israel Cysneiros, surgida no Rio de Janeiro, RJ, em novembro de 1978, com a publicação do livro “Fundamentos de Umbanda – Revelação Religiosa”.
  •  
  • Aumpram, Aumbandhã, Umbanda Esotérica, fundamentada por Pai Tomé (também chamado Babajiananda) através do seu médium, Roger Feraudy (1923 – 22/03/2006), surgida no Rio de Janeiro, RJ, em 1986, com a publicação do livro “Umbanda, essa desconhecida”.
  •  
  • Ombhandhum, Umbanda Iniciática, Umbanda de Síntese e Proto-Síntese Cósmica, fundamentada pelo médium Francisco Rivas Neto (1950 – ), mais conhecido como Arhapiagha, surgida em São Paulo, SP, em 1989, com a publicação do livro “Umbanda: a proto-síntese cósmica”. Começou como uma derivação da Umbanda Esotérica, porém aos poucos foi se distanciando cada vez mais dela, conforme ia desenvolvendo sua doutrina conhecida como movimento de convergência, que busca um ponto de convergência entre as várias vertentes umbandistas.
  •  
  • Umbanda Sagrada, é a vertente fundamentada por Pai Benedito de Aruanda e pelo Ogum Sete Espadas da Lei e da Vida, através do seu médium Rubens Saraceni (1951 – ), surgida em São Paulo, SP, em 1996, com a criação do Curso de Teologia de Umbanda. Sua doutrina procura ser totalmente independente das doutrinas africanistas, espíritas, católicas e esotéricas, pois considera que a Umbanda possui fundamentos próprios e independentes dessas tradições, embora reconheça a influências das mesmas na religião.

Escrever um comentário (0 Comentários)

Jesus acima das religiões

Antes de investir seu tempo neste texto, tenho que avisar: além da falta de rigor científico, rola uma paródia no finalzinho, com muita "liberdade poética", ok?

Não é um debate religioso. É um "livre-pensar" sobre um dos mais populares mestres em todo o planeta.

Antes de falarmos de Jesus, entretanto, vamos entender a diferença entre fato e narrativa.

Isso é muito importante, porque a humanidade, de uma maneira geral, não consegue mais separar as 2 coisas, e a grave consequência dessa limitação é o mundo fake que vivemos.

FATO é algo que aconteceu.

NARRATIVA é a exposição do FATO através de palavras, imagens, etc.

OPINIÃO é o ponto de vista de alguém, uma interpretação do FATO (e, às vezes, de uma mentira).

Elementar, né, mas, por incrível que pareça, se todos soubessem separar fato de narrativa e opinião, arrisco dizer que 90% dos problemas da humanidade desapareceriam.

Continuemos.

FATO HISTÓRICO é algo que aconteceu no passado, cujo reconhecimento se dá através de documentos, narrativas, "pegadas" no meio ambiente, enfim, registros históricos compilados e atestados cientificamente.

Por exemplo, a chegada dos portugueses ao Brasil.

Já a NARRATIVA HISTÓRICA, quase sempre vem carregada de um viés ideológico (depende de quem vai narrar o fato).

Por exemplo, os jovens em Portugal aprendem no ensino médio que os patrícios "descobriram" o Brasil, chegaram a uma terra de ninguém, para onde trouxeram o progresso e a civilidade.

Mas se vc perguntar para os índios, a narrativa não é essa aí não, entendeu?

Outro exemplo mundialmente famoso: o Livro do Êxodo.

Vc já deve ter ouvido falar da "história" de Moisés que libertou o povo israelense da escravidão no Egito, atravessou o Mar Vermelho, e tal..

.. tema de filmes, livros e recentemente até novela da tv record..

Pois é, cientificamente falando, essa história é, em grande parte, conversa prá boi dormir..

.. não é fato, carece de provas históricas ou arqueológicas..

.. é uma narrativa com forte viés ideológico, que se apropriou de alguns fatos históricos para criar uma lenda.

Um conto.

Por exemplo:

:: a narrativa diz que Deus enviou as pragas como ameaça ao faraó do Egito, caso ele não libertasse o povo hebreu.. segundo os cientistas, essas "pragas", na verdade, eram fenômenos climáticos, sobretudo seca (que é o que a gente vai começar a sentir, de novo, em várias regiões do planeta e que já estão acarretando a migração (êxodo) de milhões de humanos);

:: a narrativa diz que milhões de israelenses atravessaram o deserto até chegar a Canaã, viagem que durou 40 anos.. os cientistas dizem que isso não aconteceu, não há registro histórico, pegada no meio ambiente, não é possível milhões de pessoas andarem por aí sem deixar rastros..

:: muito convenientemente, a narrativa diz que Deus prometeu uma terra lá para os brothers..

Os caras são super, super, ainda criaram uma narrativa que transforma a narrativa (deles) na palavra de Deus, portanto inquestionável.

Entendeu?

Base de toda a civilização judaico-cristã.

Pense nuns caras espertos..

(tem um zilhão de páginas na WEB sobre esse assunto, peguei o primeiro exemplo que me apareceu: O que a ciência diz sobre Moisés)


O que eu vou escrever abaixo é a minha opinião sobre uma narrativa: Jesus.

E não adianta vc querer brigar comigo pela defesa da história de Jesus como sendo um fato histórico..

.. não existem elementos históricos que corroborem a história de Jesus, pelo menos não na perspectiva das igrejas cristãs..

.. trata-se de uma narrativa..

.. assim como é narrativa tudo o que se expõe sobre, praticamente, todos os mestres inspiradores de religiões em todo o mundo..

.. o que não tira um centímetro da importância dos ensinamentos de Jesus..

.. vamos à "minha" narrativa:

Jesus era um cara revolucionário, esquerdista, agitador, que questionava o sistema e tinha uma visão inclusiva do mundo.

Carismático, tinha grande audiência no seu "blog sujo", e conquistou centenas de seguidores com as suas "verdades".

Iguais a Jesus tinha um monte, alguns até melhores do que ele nos quesitos conteúdo, likes, seguidores, etc..

Mas Jesus entrou numas de bater pesado na esquerda fake da época, que fingia lutar contra o império romano, mas de fato convivia na boa com aquele domínio, enquanto o povo passava fome, e acabou sendo duramente perseguido, preso, torturado e morto..

.. ganhou notoriedade extra..

.. transformou-se num símbolo..

.. em seus últimos discursos já dizia "podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira" (agora eu não lembro ao certo se foi Jesus quem falou isso), ou "eu não sou um ser humano, eu sou uma ideia" ou "o reino de deus está dentro de vós", coisas desse tipo, mensagens subversivas no sentido de questionar o poder estabelecido..

.. o cara era top view em todos os ranks de popularidade..

O seu assassinato foi um escândalo de proporções amazônicas, saiu em todos os jornais..

.. o que acabou por empoderar ainda mais o mito e aumentar em muito os seguidores da sua cartilha.

Como o império romano andava meio caidaço, com dificuldade para manter o establishment à ferro e fogo, se apropriou do movimento popular em torno de Jesus e inventou a Igreja Católica.

Os caras capitalizaram a fé..

.. já não eram mais os romanos (malvados) que mandavam na pretada, era a igreja católica (de Jesus, morto, mas comandada pelos romanos, vivos)..

Foi a maior apropriação cultural da história da humanidade..

.. tacada de mestre.

--

É claro que eu tenho muitas críticas sobre as igrejas em geral, católicas ou protestantes, inclusive, e sobretudo, as evangélicas.

Há exceções, mas a maioria apenas se apropriou do nome de Jesus prá faturar algum..

.. e algumas igrejas, alguns padres e pastores, agem em sentido oposto aos ensinamentos de Jesus, como se falassem em nome de uma ideologia anti-cristo.. .. basta observar a virulência excludente de alguns pregadores..

Porém, distante dessa pregação as vezes odiosa, se vc tiver paciência e analisar com calma as ideias de Jesus, vai descobrir um sujeito extremamente gente boa, inclusivo, humilde, amoroso..

Vale a pena estudar Jesus.

Escrever um comentário (0 Comentários)