Início / Diversos / Múmia Alienígena encontrada no Peru

Múmia Alienígena encontrada no Peru

Múmia Maria Tres Dedos do Peru

A notícia não é exatamente nova, as versões é que foram sendo atualizadas.

O caso concreto é de um humanóide com genoma muito parecido com o nosso, mas com aspectos anatômicos bem diferentes, sugerindo, de forma quase inequívoca, tratar-se de uma raça alienígena que andou espalhando seus genes pelo planeta a milhares de anos atrás.

Uau!

A matéria completa (em inglês) está aqui.

Pesquisadores russos analisaram amostras de tecidos de uma das misteriosas criaturas alienígenas descobertas no Peru no ano passado.

A múmia, com um crânio alongado e apenas três dedos, excitou os ufologistas desde a sua descoberta.

NOTA EDITORIAL: Esta história foi atualizada com informações sobre a questionável pesquisa passada de Konstantin Korotkov para dar aos leitores uma melhor perspectiva sobre suas alegações relativas às múmias peruanas.

Análises preliminares das amostras de tecidos revelaram que a múmia, encontrada em uma tumba perto das linhas de Nazca no Peru e batizada de Maria, é um “ser humanoide” com 23 pares de cromossomos – considerados, até então, tão humanos quanto os meus e os seus cromossomos.

Essa múmia tem aproximadamente 1.500 anos, viveu cerca de mil anos antes da chegada dos europeus à América.

Konstantin Korotkov, professor da Universidade Nacional de Pesquisa de São Petersburgo, e Natalya Zaloznaya, radiologista e especialista em tomografia computadorizada do Instituto Internacional de Sistemas Biológicos, coletaram amostras de tecido no Peru e as levaram para análise na Rússia.

O professor Korotkov é conhecido por suas pesquisas sobre fenômenos científicos duvidosos.

Entre outros exemplos, ele é defensor do uso de técnicas de década de 1930, para criar imagens das auras das pessoas, que ele afirma poderem ser usadas para diagnosticar doenças no lugar de tomografias e raios-X.

Ele também afirma ter encontrado provas de vida após a morte e filmou a atividade da alma de uma pessoa morta.

Korotkov acredita que Maria poderia ser uma representante de uma determinada raça que evoluiu muito mais cedo do que nós, “talvez milhares de anos antes”, disse ele.

O professor sugeriu a hipótese desta raça ter sido extinta como resultado de uma inundação ou queda de cometa.

Agora, a equipe está interessada em descobrir como a composição de Maria se assemelha à de pessoas na América do Sul, na África ou em outros lugares.

“Estamos fazendo uma análise detalhada para ver se a posição de todos os cromossomos, de todos os aminoácidos, coincide com a nossa”, disse Korotkov à Mir 24.

A radiografia e a tomografia computadorizada mostraram que Maria tem uma estrutura de costela muito diferente da humana.

Em forma de quilha na parte superior com um punhado de costelas semicirculares, a gaiola protege os órgãos internos da criatura, que se assemelham aos dos seres humanos.

“Nós vemos claramente os contornos da traquéia e dos brônquios, do coração e de suas câmaras; podemos até ver a forma das válvulas. Também podemos ver claramente os contornos do diafragma, do fígado e do baço”, explica. Zaloznaya

Os cientistas também descobriram que Maria foi embalsamada com um pó branco de cloreto de cádmio, cujo efeito antibacteriano preservou Maria até hoje.

Os pesquisadores agora estão trabalhando em estreita colaboração com seus colegas peruanos para continuar decifrando o genoma e quebrar seu código de DNA, relata Mir 24.

Além de Maria, o professor Korotkov analisou mais quatro múmias no Peru, todas do sexo masculino com um DNA de 23 pares de cromossomos, como nós.

No entanto, “eles parecem humanos, mas não são. Sua estrutura anatômica é diferente ”, diz Korotkov.

“Eles podem ser extraterrestres ou bio robôs” (avatares).

Compartilhe esse conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *